Shin Ai



Boa noite (madrugada) pessoal. Primeiro eu posso dizer que eu ganhei alguns "poderes" a mais aqui. Antes de mais nada eu quero muito agradecer o Gardiman-san (aquele diva <3 ) pela confiança.
Vocês não fazem idéia de como é bom você visitar perfis de amigos e ver na caixa de músicas "mizuki nana", e mais saber que certamente foi por sua causa, pois muitas vezes a pessoa não ouvia falar até que você espalhou o vicio :v Confissões a parte os meus agradecimentos são muitos primeiro por poder compartilhar um pouco do que eu sei e assim ser útil e divulgar o trabalho dela por aqui. 
Fusando por aqui por dentro eu achei um material deixado por ele. trata-se do Shin ai. E eu achei interessante dar continuidade nesta postagem por que notei que muita gente não tem conhecimento do conteúdo no máximo alguma coisinha e até mesmo eu só resumos pela internet (por que né sou pobre  e não sei japonês T^T)

Como não vou ter tempo de postar todo o livro para vocês, vou dar aqui a análise do livro que, em parte me emocionou e me chocou ao mesmo tempo. Nana realmente não é uma simples Seiyuu, ela viveu uma vida rodeada de problemas como se fosse um dorama até receber a glória que tem hoje no Japão. Alguns fatos me fizeram chorar enquanto eu lia e outros me fizeram sorrir, pois você sente que realmente foi ela que escreveu com onomatopeias do tipo "ohhhhhhhhh", "woowwwwaaaa" e outras.

SHIN AI
親愛

Você sabe quem é Mizuki Nana? Uma artista popular seiyuu com uma enorme quantidade de apoio para ser a primeira no ramo a lançar sua autobiografia!

"Eu acreditei nele. Eu acreditava que o sonho se tornaria realidade, foi como eu fui criada pelo meu pai."

Alcançando o sonho de se tornar uma cantor de enka, em todos os 365 dias por ano, sua infância foi composta de lições de seu pai. Sua juventude consistiu em entrar e vencer vários concursos de karaoke. Então, depois de vencer a competição de canto nacional, ela foi para Tóquio, onde ela começou a se inscrever no curso de artes de entretenimento em Horikoshi. O futuro parecia brilhante.

Mas a dura realidade a esperava na escola. Incapaz de fazer uma estréia muito boa, sua agência também foi à falência, levando a uma situação financeira em que ela mal conseguia comprar comida. Pior de tudo, seu pai tornou-se enfermo e foi internado neste momento ...

"Não importa o quão difícil estava ou o quanto ruim eu estava, eles riram, mas eu ainda acreditava no sonho que eu segurava. Não havia nenhuma maneira que eu desistiria.

A força que inspira seu coração inabalável te leva às lágrimas.

O título da autobiografia, "Shin Ai" condiz à história. Se você ler a letra enquanto pensava sobre a vida de Nana, você vai perceber que é uma música muito bonita e também foi a canção que Nana realmente chorou enquanto cantava porque ele lembrou de seu pai.

Para dizer a verdade eu chorei ao ler toda a biografia. Pela primeira vez em toda minha vida eu era movido por uma pessoa real em um livro e tinha certeza de que eu chorava porque eu sentia o que ela passou, mas isso é diferente. Na verdade, eu percebi que Nana não apenas tornou-se o que ela é agora apenas fazendo testes ou simplesmente por "peixada", ela realmente trabalhou muito duro sem desistir, apesar dos obstáculos.

1 - Sumário


Este capítulo foi um breve resumo do conteúdo geral e seu sentimento sobre viver sozinha em Tóquio.



Nana estudou em Horikoshi, uma escola que oferece um programa especial para as artes e entretenimento. É uma escola popular para as pessoas com o objetivo de estar na indústria do entretenimento e muitas celebridades japonesas (ou seja, Ayumi Hamasaki, Yamashita Tomohisa (Yamapi), Aya Ueto, Kyoko Fukada) foram formados a partir daqui. O estudante deve estar em companhia agência de talentos e registrado para poder se candidatar a este programa. Horikoshi permite que os estudantes de artes e entretenimento possam ter uma licença especial de aprendizagem flexível e horários especias, caso eles tenham trabalhos na indústria do entretenimento.

Durante seu primeiro ano, Nana foi reconhecida como uma aluna que nunca perdeu uma aula sequer, que, ironicamente, era algo que ela realmente não queria, porque isso significava que ela não teve qualquer trabalho para ganhar este prêmio. Ela era a única da classe que não teve a chance de estrear até que ela alcançasse o terceiro ano. Ela tinha que acordar e ir para a escola cedo para evitar o assédio sexual de pervertidos em comboios e metrôs durante as horas de pique. Ela encontrou alguns durante seu primeiro mês em Tóquio. Ela disse que realmente despreza essas pessoas e não pode perdoá-los. (depois perguntaram o por que eu falei daquela forma sobre o que o Takanori aprontou ficando nu!)


2 - Pai & Filha



Este capítulo cobre a fundo sobre a família e sua vida desde o nascimento até o ensino médio. É muito tempo, claro, mas ela dá mais detalhes sobre sua infância e isto lhe ajuda a compreender melhor o conteúdo.



Uma coisa sobre Nana que pode surpreendê-lo: apesar de sua natureza gentil, Nana é uma pessoa muito teimosa (mas no bom sentido). Ela adora um desafio e odeia perder. Esta mulher é mais resistente e mais agressiva do que pensávamos. Ela mostra o seu lado agressivo muito nos capítulos seguintes que vai fazer você se perguntar se este é realmente a fofinha que costumamos ver. 


Os antecedentes familiares

A Kondou família (sim, seu nome verdadeiro é Kondou Nana, mas acho que vocês já sabiam né? ) foi uma pequena típica família de classe-média na cidade Niihama. Seu pai era um técnico de prótese dentária, que uma vez sonhou em se tornar um cantor de enka. Ela descreveu sua mãe como uma mulher de um tradicional casal japones, "teimosa e governante da família e do marido" e "dona de casa silenciosa e obediente". Ela mencionou brevemente sobre uma irmã que é 3 anos mais jovem. No entanto, nunca, uma vez sequer, o nome de Mika foi mencionado. Estar em gravadoras diferentes proíbe mencionar o nome de membro da família. Embora ela fosse de alguma forma uma pessoa teimosa, Nana muitas vezes se preocupava muito sobre como os outros se sentiriam e tentava evitar o que os tornam aborrecido. Assim, muitas vezes ela se irritava com ela mesma quando ela não poderia dizer abertamente o que estava em sua mente. Ela admitiu que tinha ciúmes da audácia de sua irmã e sua natureza despreocupada. Mika poderia facilmente falar o que ela queria e ela não se importava se a contrapartida era o seu pai ou executivo da empresa. 

Decidiu-se antes de Nana nascer que, se o bebê deveria ser um jogador de beisebol se fosse um menino ou uma cantora enka se fosse uma menina. Nana recebeu o nome de Okada Nana, uma atriz e cantora, inclusive, foi usado o mesmo kanji porque o pai era seu grande fã. Embora ela goste de seu nome, ela ficava um pouco chateada com o pai por isto. Mas é indiferente...

"Papai tinha o mau hábito de gastar quantidade absurda de dinheiro para seus hobbies, comprou um barco de pesca para o seu hobby de pescar, então tivemos que vendê-lo um pouco mais tarde porque não tinha dinheiro para manutenção. Construía salas de karaoke com equipamentos muito caros para a escola de enka também era um deles."

Esses passatempos causaram a sua família, uma família recheada em dívidas. 

A pessoa a quem ela quer reconhecer sua habilidade cantar mais é seu pai. Ele era um pai teimoso e tradicional japonês que se recusou a mostrar o seu lado suave. Ela mencionou que sem ele, não teria a capacidade de ganhar o primeiro prêmio em um concurso de canto nacional enka depois de 10 anos de participação em vários concursos (ela começou a participar desde que ela tinha 5).

Depois, Nana foi para Tóquio, quando então seu pai foi hospitalizado até que morreu em 2008, um ano antes que ele pudesse vê-la cumprido o seu sonho de realização, no Kouhaku. Esta parte foi muito dura para mim ler, mas eu sobrevivi... Ela disse que, até agora ela ainda o procura mentalmente para cumprimentar.






3 -  Anos de formação e partida para Tóquio



Sua infância dos cinco aos quinze anos foi toda rodeada em práticas vocais e viagens ao redor do Japão quase todo fim de semana para concursos de canto. Seu pai era muito rigoroso. Todos os dias depois da escola, ela tinha que ir direto para casa para praticar. Se ela estava atrasada, mesmo que por 5 minutos, ele batia nela e ela ficava presa em sala no jardim"Quando eu quis chorar, eu vou chorar sozinho para que ninguém notasse."  Ela tinha que cantar músicas sem escalas, com tons altos e sem microfone todos os dias no escritório do pai, que se enchia de poeira e ruídos da mecânica dentária. Se ela parasse no meio ou cantasse mais alto do que aqueles ruídos, ela recebia punição. Nana ainda acha que a lição do pai era muito severa e ridícula. No entanto, sendo uma pessoa calma, mas teimosa, nunca teve uma birra ou chorou na frente dele. Ela disse que não queria perder jamais. 
"
Quando ela tinha 13 anos, ela foi escolhida pelo Turismo Niihama para cantar uma canção memorial para Besshi, um monumento em Niihama de cobre antigo e muito famoso. O nome da música é Tsugazakura. Foi lançado em forma de de cassete em apenas poucas centenas.
Ela nunca chegou a viver a custas de seus pais desde que ela tinha 5 anos. Sua despesa veio exclusivamente de cantar em conselhos ou concursos. Ela aprendeu a gestão do orçamento a partir dai, portanto, era capaz de sobreviver à pobreza durante sua estadia em Tóquio.
Ao tentar receber prêmios de muitas competições desde que ela tinha 5 anos, ela nunca tinha conseguido o primeiro lugar até que ela ganhou concurso nacional enka aos 14 anos.


4 -  De Kondou Nana a Mizuki Nana

Tornando-se Seiyuu:

 Ela amava anime. Quando criança, ela usou o dinheiro que ganhou em concursos para mangás, jogos e coisas relacionadas ao anime.Durante a viagem de campo da Intermediate School em Kyoto chamou a primeira loja de anime como um lugar sagrado.
 O pai não estava feliz com seu passatempo "absurdo", mas ela venceu seu pai chato (sim ela disse chato) pelo cansaso e os excelentes resultados do estudo e de formação de Enka. Era mais um motivo por que ela nunca reclamou de suas duras lições.
 Além de seu sonho de se tornar uma cantora, ela queria se tornar um seiyuu desde a infância. Por isso, ela decidiu estudar o curso de dublagem profissional e tornar-se Seiyuu, continuando a perseguir seu sonho de se tornar uma cantora.
 Kadokura Chisato:
Fez o teste para o papel de Kadokura Chisato no jogo PS "Noel ~ La neige" quando  estava estudando no último semestre de seu segundo ano e estreou quando ela estava no 3 º ano. Foi a primeira vez que ela tinha "permissão especial" (aquele papo de faltar as aulas por ter trabalho) da escola ao trabalho.
 E então ela utilizou "Mizuki Nana" como seu nome artístico, porque já havia uma cantora com o nome de Kondou Nana 
 Devido a sua habilidade para cantar a empresa de jogos decidiu lançar um álbum PioneerLDC " caráter canções "Noel La neige ~ x ~  Chisato x Nana, que foi muito estranho ter um álbum para um voz "caráter único jogo" para uma recém-chegada como Nana.
No início de sua carreira como seiyuu, ela foi severamente criticada pelos que viam nela o seu trabalho Seiyuu como uma ferramenta para a sua carreira de cantora. Isso fez com que a sensação irritante e que ama os dois trabalhos iguais.
 Algumas pessoas diziam que uma pessoa com dois empregos é  "Two-Timer" e sua resposta é: "Quem se preocupa com o que está sendo chamado de dois timer? Não há nenhuma regra que proíbe! Se ninguém fez isso antes, eu estou disposto a ser a primeira!!"(Teimosa e confiante do jeito que eu gosto bebê <3 ) e ela revela a si mesma que pode lidar bem com os dois trabalhos.

Seu trabalho como seiyuu foi mais difícil do que ela pensava. Ela foi severamente repreendido e foi instruída a ir para casa pelo gerente de palco porque cometeu muitos erros durante os primeiros partes da gravação. Ela teve que praticar muito para  entender como transmitir emoções através da leitura de um texto enquanto ela cantava era muito mais fácil.
Ela não era (e ainda não é) boa para entrevistas ou falar em público, sempre foi muito tímida mesmo sendo muito determinada.

 Deixando o "benfeitor"

O comportamento de seu professor Enka, que também foi o executivo da sua agência, foi piorando. No começo, ele não concordou com a sua decisão de se tornar um seiyuu, mas ele começou a falar de dinheiro, muitas vezes depois que ela estreou e lançou um CD.
Quando não havia trabalho de seiyuu, Nana teve que trabalhar como uma equipe geral no cargo de professor. Ela atribuiu ¥ 50.000 de salário mensal, mas teve que pagar ¥ 10.000 para aulas de canto. Ela não sabia se o salário foram incluídos no seu trabalho como dubladora, porque todo o dinheiro que recebeu diretamente. Sendo inexperiente em assuntos de negócios, no momento, ela nunca questionou sobre o assunto.
  ¥ 40.000 não foram suficientes para ela depois de sua estréia. Não só teve que pagar por suas despesas diárias, enviou dinheiro a seu pai, e voltou uma certa quantia para a bolsa escola, ela também teve que comprar roupas novas, cosméticos, alimentos e coisas necessárias para a sua carreira. Ela recebeu cartas de fãs reclamando por que sempre usava quase as mesmas roupas.
 O professor opôs-se a obter um emprego a tempo parcial, mas depois concordou se ela ajudou-o a gravar algumas fitas demo de canções que ele havia composto (não relacionada com o seu trabalho e não havia pagar extra). É assim que ela aprendeu a gravação e edição de som sozinha. (Ironicamente, Nana pode usar um programa complicado de engenharia de som, mas é muito ruim no uso de software básico como o MS Office).
Ela trabalhava em um serviço personalizado no salão. Ela realmente gosta deste trabalho porque ela poderia aprender dicas de maquiagem e cosméticos amostras grátis
 (Nana sempre foi humilde e nunca se enquadrou muito em padrões de beleza, quando mais nova não se enturmava com as meninas por não saber se maquiar ou se vestir como elas) 
 Ela teve a chance de realizar shows em lugares pequenos, com capacidade para poucos acentos pois a  agência não se atrevia  a investir mais nela.
Ela conheceu uma pessoa que mudou sua vida para sempre. Essa pessoa é Akio Mishima,da King Records e seu produtor atual. Ele imediatamente quis assinar um contrato com ela depois que ele assistiu a um concerto. No entanto, o professor recusou ao  a oferta de Mishima, no entanto, Mishima não desistia. Ele contatou diretamente e pediu-lhe para ir ao estúdio de gravação para uma amostra. Sua primeira canção gravada sob o rótulo da  King Records foi Aosora Suichu, mas também foi usado em seu terceiro single, The Place of Happiness. Mishima prometeu que iria fazer o maior esforço para promover o negócio e que ele acreditava "que o verdadeiro talento pode vender".

 Mishima pediu para Nana deixar a  agência seu professor pois era um obstáculo para seu progresso. No entanto, ela inicialmente se recusou, ela pensava que devia retribuir o favor, se tornar uma cantora de sua agência. Ela até começou a duvidar da intenção de Mishima e outros (King Records) quando pressionado sobre o assunto. Mais tarde, soube que era porque ela fora afetada pela Síndrome de Estocolmo (um comportamento psicológico paradoxal de vítimas de sequestro, que, ao longo do tempo, tornar-se solidário com os seus captores).
 No entanto, o professor não se preocupou em continuar assediando-a  sexualmente e foi cada vez pior até que ela não aguentar mais, então eu decidi procurar o conselho de Mishima. Foi a primeira vez que ela revelou seus cinco anos de experiência traumatizada para outro. Mishima ficou muito irritado quando ouviu e disse que ela tinha que deixar a casa imediatamente. A King Records ofereceu-se para ajudá-la. Movido seus pertences da casa de seu professor sem saber o Mishima enquanto assistiam do lado de fora do café, onde ela disse ao professor que saiu de sua casa e agência.
Depois que ela o deixou e foi para  King Records, houveram ameaças dele, mas nada aconteceu enquanto ela estava sob vigilância pela King Records.
Ela disse que se sentia como uma idiota por ainda se sentir grata a seu professor por tê-la "acolhido". Ela  odeia completamente por sus abusos sexuais que ainda não pode perdoar.
  


5 - A História de Pai e Mãe

Este capítulo é sobre a morte de seu pai e do forte vínculo entre os pais, o casal ideal que ela mais admirava. É o capítulo mais amargo que leva muitas pessoas ( até Fukuen Misato que é das dorgas se é que me entendem :v ) às lágrimas. É difícil resumir, sem diminuir a forte emoção que ela pôs neste capítulo

Pai é hospitalizado 
 Seu pai morreu em outubro 2008 com 76 anos após 10 anos de internação.
 Antes de ser internada, era normalmente energético, e ele começou a se distrair, e muitas vezes ouvir coisas vagando sem rumo, sem perceber o que estava fazendo. Então, a mãe o obrigou a fazer um diagnóstico.
O médico descobriu que tinha  acidente vascular isquêmico e foi quase um milagre ter vivido normalmente até então. Como foi diagnosticado mais tarde, não havia nada que pudesse fazer para curá-lo.Tinha que ficar no hospital para observação. Foi quando Nana tinha 18 anos, dois anos antes de sua estréia como cantora, ele nunca teve a oportunidade de assistir a concertos da Nana.
Nana hesitou se para voltar ao Ehime para ajudar a mãe que cuidou dele, mas sua mãe a impediu, dizendo que Nana deve ficar em Tóquio para continuar o seu sonho, porque era o que o pai queria mais e ela estaria bem.
Embora ela se comporta como uma esposa obediente tradicional, a mãe é uma pessoa forte. Foi ela quem disse a Nana que tinha que preparar-se para não ver o seu último suspiro para prosseguir com seu sonho. 
 Para cobrir  os custos adicionais a mãe de Nana teve que conseguir empregos a tempo parcial.
Condição do meu pai foi piorando gradualmente. Desmaiou regularmente teve amnésia e finalmente esqueceu as coisas e as pessoas ao seu redor, a não ser sua família.
 Ao longo desses 10 anos, Nana falou muitas vezes por telefone com sua mãe. "Minha mãe sempre disse a condição de que seu pai vai ouvir com calma e nunca lamentar". Ela disse que estava tudo bem se Nana voltasse para casa uma vez por ano e que não precisava voltar muitas vezes, ela deve se concentrar em seu trabalho. Nana foi um pouco inútil e tudo o que ela podia fazer era enviar mais dinheiro para sustentar seus pais.

Um dia, depois que terminar de gravar um episódio do anime Naruto, no período da tarde, ela recebeu uma mensagem incomum da mãe. Ela ligou novamente e disse-lhe que só tinam mais aquela noite.
 De repente, ela correu para Ehime pelo muito rápido shinkansen . Ela chegou Niihama na manhã seguinte, no entanto, quando ela viu sua mãe (que era geralmente ao lado de papai), esperando por ela em frente à estação Niihama, imediatamente sabia que não podia fazer nada. O pai tinha morrido na noite anterior.
Lamentou e se sentiu perdida, quis chorar em voz alta quando ela viu seu rosto, mas não conseguiu porque o pai sempre disse a ela para ser profissional. Ela não podia ser simplesmente Kondou Nana mesmo no funeral. Para que o  pai ficasse orgulhoso dela tinha que ser triste, mas  inteligente "Mizuki Nana" versus os outros convidados. " meu pai sempre dizia que os ser gentil com os filhos era papel da mãe, o do pai era ensinar a sobreviver."
"O que mais lamento é que não tinha tido a chance de dizer a ele o quanto eu o amava, quando ele ainda estava vivo"
Seus pais tiveram que suportar todas as fofocas dos vizinhos por anos. diziam que  enviar Nana para Tóquio era um desperdício de tempo e dinheiro. Para as pessoas em Niihama, ela era apenas uma estrela desconhecida sem nunca ter aparecido na  TV nacional ou em revistas normais. (Antes de ser promovida na mídia nacional ou depois de entrar Music Japan como narrador do programa, ela só tinha aparecido em programas de televisão locais ou pouco conhecidos programas de TV nacionais e revistas seiyuu).
No entanto, houve um alvoroço tal antes do funeral começou. Em primeiro lugar, vários telefones tocava constantemente no funeral, tanto grinaldas e buquês tanto que as flores das lojas em ehimes acabaram. A maioria deles foram ordenados a partir de Tóquio. Foi por King Records e Sigma Seven que haviam publicado a notícia sobre a morte de seu pai.
Eles receberam mais de 150 coroas de flores, buquês e toneladas e mais toneladas de grandes cartões de simpatia, foi um dos funerais mais animados e maiores em Niihama (é claro que ela surpreendeu seus vizinhos). Nana e sua mãe começaram a rir pela primeira vez depois de sua morte, porque elas sabiam que ele era arrogante e se tivesse visto diria: "Está vendo? Estou ótimo, não é? " 
 Ela finalmente tinha tempo a sós com ele e ela cantou a primeira música que ele ensinou quando ela tinha 5 anos como um presente de despedida para ele, cheio de lágrimas. Ela também falou sobre as coisas que ela queria dizer, mas nunca teve a oportunidade de falar com, ou seja, seus empregos, seus sentimentos por ele e como ela queria Vê-lo no lado de fora em um concerto em algum momento.
A primeira música que ele aprendeu com seu pai   
  
  Ela aceitou todos os pedidos de autógrafos dos outros hóspedes no funeral, porque ela tinha que cuidar de seus fãs como prioridade era outra coisa o pai lhe ensinou.
  Ela teve de voltar para Tóquio para trabalhar no dia após o funeral. Sendo apenas um único dia após o funeral, sentiu-se triste e solitária. "Se pensasse muito nele ela iria começar a chorar, então eu tinha que manter-se ocupado com o seu trabalho ou encontrar amigos a distância."
 Alguns sabem que Nana escreveu  Yume no Tsuzuki para seu pai, mas ela revelou pela primeira vez que Shin'ai também foi dedicado a ele.Foi escrito apenas dois dias após o funeral e foi gravado 7 dias mais tarde. Inicialmente, ela foi instruída a escrever uma canção de amor para o anime, drama romântico, White Album , mas ela decidiu colocar todo o sentimento para o pai e sua família nesta canção. Portanto, Shin'ai é mais do que amor romântico (para white album) é o  família amor. Seu título significa profundo amor por todas as coisas especiais, por isso é a sua canção favorita.
Conseqüentemente, ela estava feliz pois a canção escolhida Shin'ai em sua primeira aparição no Kouhaku , pois é uma canção dedicada a seu pai e Kouhaku fazia parte de seu sonho.

"Nana realmente não tinha muita coisa para falar sobre moda com outras meninas na escola. elas sabiam sobre o seu sonho de se tornar  cantora ... eles iam pedir   autógrafo, em seguida, escrever "WANNABE" ao lado dele,. Tirando sarro dela e de seu sonho ... causando um trauma que sempre que ela assina ela se senti um pouco ansiosa "

"Bem ela usava meias com remendos costurados à mão.Além disso, ela foi assediada sexualmente por seu "enka-professor" e  definitivamente não foi brincadeira" (vão agora digam que eu estou sendo muito conservadora por ficar puta com o Takanori) 
"Para não ser abusada ela se molhava na chuva para ficar resfriada e doente para que ele tenha pena dela."

"Ela comia o resto da marmita das poucas amigas que tinha pois ganhava uma refeição por dia e o dinheiro que tinha era muito pouco, a refeição mais luxuosa que  teve antes de ir para a king records foi uma carne grelhada."

Bom pessoal foi até aqui que eu tive acesso, como eu disse sou uma fã pobre que está em plena 03:40 da manhã caçando resumos e simplificando o que o Gardiman nos deixou (certamente ele ficou com preguiça de termina ¬¬) mas é isso.
Créditos e agradecimentos especiais ao Shin ai Do Gardiman e sua ajuda, ao mizuki nana fan blog, ao André por estar até essas horas me ajudando e é isso.
Eu acho que não deu para passar tudo de forma detalhada mas deu para mostrar que o qual difícil foi a vida da nossa hime, eu me lembro que ao ler o simples resumo estava na casa da minha tia e comecei vergonhosamente a chorar na hora. depois de todos os traumas, de ter passado fome, de ter sido abusada sexualmente, da infância pobre, dos maus tratos e rigor exagerado  do pai, dos colegas que zombavam dela vemos o qual grande Mizuki Nana é.
Por isso da mesma forma que ela sonhou com um coração inigualável que superou qualquer dificuldade nós também devemos seguir o exemplo deixado por ela. Muitas vezes olhem e digam" mas ela nem sabe que você existe! Pare de ser uma idiota, ela é rica não sabe o que é dificuldade na vida." Eu vou continuar a inferniza-la no blog para ela reconhecer que mesmo agora eu não tendo como vê-la ou colecionar tudo o que ela lança eu como muitos daqui aprendi muito com ela e sou uma das pessoas que provam para esses malditos que maltratavam-na que ela venceu na vida.
Bom deixa eu sair porque já deu a minha hora.
  

0 Nana fãs comentaram:

Postar um comentário

Olá! Deixem seus comentários que eles serão divulgados no Blog após verificados! Não serão aceitos comentários com insultos ou divulgações de sites que não são de conteúdo Japonês e de classificação Livre.
Infelizmente a moderação teve que ser ativada por mal uso deste canal.
Aguardamos seu comentário.

Grato. Adm.